Presidente da OAB de Biguaçu concorre a conselheiro estadual da Ordem

Publicidade

Pela primeira vez na história da 36ª Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Santa Catarina, que abrange os municípios de Biguaçu, Antônio Carlos e Governador Celso Ramos, um representante da entidade pode ser eleito conselheiro estadual titular. Isso por que o presidente Pedro Joaquim Cardoso Júnior integra uma das chapas da eleição da OAB/SC.

Cardoso Júnior disse, em entrevista ao Biguá News, nesta terça-feira, que abriu mão de tentar uma reeleição para presidente da 36ª Subseção em prol da unidade em torno de uma chapa única – encabeçada pelo atual vice-presidente João Antônio Trajano – e foi convidado a compor a chapa 82 na eleição da seccional, que ocorre no dia 16 de novembro.

Continua após a publicidade

“Conseguimos, por meio de uma articulação, a união dos advogados da comarca parar ter uma chapa única e esse era o principal objetivo que eu tinha. Coroada essa união, me foi dado a oportunidade para concorrer a conselheiro estadual na chapa do candidato Adriano Zanotto e pela primeira vez na história Biguaçu pode ter um conselheiro estadual”.

Na avaliação do atual presidente da 36ª Subseção da OAB/SC, os advogados de Biguaçu, Antônio Carlos e Governador Celso Ramos ficarão fortalecidos elegendo um conselheiro estadual, pois o ocupante do cargo na seccional participa ativamente nas decisões da diretoria. “A subseção passa a ter voz e voto para todas as decisões que terão no próximo triênio para a gestão da OAB de Santa Catarina”, comentou.

Pedro Joaquim Cardoso Junior - presidente da OAB de Biguaçu (Foto-Bigua News)
Advogado Pedro Joaquim Cardoso Júnior pode ser eleito conselheiro estadual da OAB (Foto-Biguá News)

Conquistas do mandato:

Pedro Joaquim destacou algumas conquistas realizadas durante sua gestão frente à 36ª Subseção da OAB/SC. Entre elas, a substituição dos juízes da Segunda Vara, que chegou a ficar até oito meses sem magistrado. “Não havia juiz, mas fomos atendidos pela presidência do Tribunal de Justiça, que designou o doutor Wellington, que está à frente dessa vara”.

Cardoso Júnior também mencionou a manutenção da Vara do Juizado de Cooperação no Fórum de Biguaçu, que corresponde a cerca de 25% dos processos no Poder Judiciário local. “Com a participação da Univali e do próprio Tribunal de Justiça, conseguimos fazer com que essa vara ficasse aqui em Biguaçu, pois a desativação causaria uma situação calamitosa devido ao volume de ações que tramitam por ela”, lembrou.

Citou, ainda, a constante defesa da prerrogativa dos advogados, a renovação do parque de máquinas da sede da 36ª Subseção da OAB/SC, as comemorações envolvendo a classe – primando pela participação das famílias dos advogados nos eventos – e a implantação de um site com os contatos de todos os 160 advogados que compõem a subseção, oportunizando assim a integração da classe.

Publicidade