Preso estelionatário em Florianópolis que fazia compras no cartão e estornava

Publicidade
Carros de luxo e caminhão do estelionatário (Fotos: Polícia Civil)
Carros de luxo e caminhão do estelionatário (Fotos: Polícia Civil)

A Policia Civil, através da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DEIC), deflagrou uma operação  denominada “Open Bar”, para coibir a ação de uma quadrilha que fraudava uma rede atacadista, instalada nas cidades de Florianópolis e Balneário Camboriú. A empresa lesada teve um prejuízo de R$ 700 mil.

De acordo com informações policiais, o estelionatário chefe do esquema mantinha um depósito de bebidas. Ele fazia compras de produtos em um atacado com valores de até R$ 70 mil, usando um cartão de crédito, e depois estornava. Assim, ele ficava com a bebida para revender e o atacadista com o prejuízo.

Continua após a publicidade

Ao todo, cinco pessoas foram presas, na segunda-feira (24), em cumprimento aos mandados de prisões, ocorridos em São José, Palhoça, Balneário Camboriú e Florianópolis. Dentre os presos, está o líder da quadrilha, um empresário de 41 anos. Ele era foragido do Estado de Minas Gerais, pelo crime de estelionato, por fraude contra instituição financeira, sendo condenado a 17 anos de prisão.

Foram apreendidos três caminhões, além, de seis carros de luxo das marcas BMW, Land Rover, Kia e Mitsubishi, avaliados em mais de R$ 1 milhão (pertencente ao líder), dezenas cartões bancários (que seriam usados nas fraudes) e documentos.

De acordo com o Delegado Raphael Werling de Oliveira, está sob investigação a participação de funcionários da rede no esquema. “Os outros envolvidos faziam o carregamento da mercadoria para a distribuidora”, explica.

Segundo o Delegado, apurou-se que o empresário utilizou um terceiro nome falso para poder abrir uma nova distribuidora de bebidas, em São José.

Também participaram da operação policiais da Divisão de Investigação Criminal (DIC), de Balneário Camboriú.

As informações são da Polícia Civil.

Publicidade