Santos vence Palmeiras na 1ª partida da final

Publicidade

A primeira partida da final da Copa do Brasil, entre Santos e Palmeiras, nesta quarta, na Vila Belmiro, foi nervosa, catimbada, com pênalti não marcado, outro apontado e não convertido, e até com troca de juiz. No fim, prevaleceu o maior volume de jogo do Peixe, que venceu por 1 a 0 e agora joga pelo empate na quarta que vem, na arena do rival.

O Verdão precisa vencer por dois gols. Se vencer por um, leva a decisão para os pênaltis. Gabriel, que perdeu pênalti no começo, se reabilitou ao marcar o gol da vitória.

Continua após a publicidade

A vantagem do Peixe só não é maior porque Nilson, que entrou no segundo tempo, perdeu uma chance incrível já nos acréscimos, quando teve o gol aberto à sua frente e conseguiu a façanha de errar o chute.

santos_palmeiras_251115

O jogo começou bem movimentando. Com apenas quatro minutos, os dois times já haviam perdido chances claríssimas: primeiro o Verdão, com Jackson, que viu a bola aparecer à sua frente, na pequena área, mas mandou para fora. Depois o Peixe, com Gabriel, que desperdiçou penalidade cometida por Arouca em Ricardo Oliveira – a bola bateu na trave.

Aos 12, um baque para o Palmeiras: Gabriel Jesus deixou o gramado com dores no ombro esquerdo, por causa de uma pancada que sofreu ao cair após sofrer falta de Deivid Braz.

Passada a correria do início, o jogo se tornou mais brigado que criativo. Os times cometiam muitas faltas, amarravam a partida. Apesar da catimba, o Santos demonstrava um pouco mais de vontade de jogar. Tinha o domínio, criava mais chances, mas falhava nas finalizações. Que o diga Ricardo Oliveira, que recebeu bom passe de Victor Ferraz e parou em Prass.

O Santos se manteve em cima no segundo tempo, apertando o Palmeiras, mas se abrindo para os contra-ataques do adversário. Aos 5 minutos, Barrios escapou às costas de David Braz, invadiu a área e caiu na área pedindo pênalti. Braz tocou no paraguaio, mas Luiz Flávio de Oliveira não apontou a penalidade. O juiz, aliás, não terminou o jogo: ele se machucou e foi substituído pelo quarto árbitro.

Passado esse lance do pênalti não marcado, o Santos voltou a mandar no jogo e, depois de muito insistir, chegou o gol aos 33, em grande jogada de Gabriel, que passou por Amaral e tocou na saída de Prass. Um belo gol. Os palmeirenses ficaram ainda mais tensos com a desvantagem. Lucas acertou um pontapé em Lucas Lima e foi expulso, deixando a equipe com um a menos nos últimos minutos da partida.

Nos acrécimos, um lance de Inacreditável FC. Ricardo Oliveira foi lançado, driblou Prass e a bola sobrou para Nilson. O gol aberto. Era só empurrar e sair para o abraço, mas ele fez o mais difícil: pegou errado na bola e mandou para fora.

Gazeta Esportiva

Publicidade