‘Se não eliminar a buraqueira nós vamos fechar a rodovia’, dizem moradores

Publicidade
João Vianei
João Vianei (Foto: Alexandre Alves/Biguá News)

É consenso entre ativistas e lideranças comunitárias de Biguaçu, que a situação precária da SC-407, que liga o município a Antônio Carlos, é insustentável e oferta perigo constante aos seus usuários, inclusive, o risco de morrer em um acidente provocado por buracos na pista.

Cobranças foram feitas às autoridades na noite desta segunda-feira, e o recado já foi dado.

Continua após a publicidade

“Nós vamos fechar essa rodovia estadual se não houver uma medida por parte do Governo do Estado, para eliminar essa buraqueira. Uma operação para tapar buracos é necessária, urgente”, disse o motorista João Vianei, ao Biguá News. “Do jeito que ela está, essa estrada ainda vai acabar tirando uma vida. Só não vê quem não quer”, completou.

O trecho entre as duas cidades possui centenas de buracos. Não há acostamento. A sinalização é deficitária. Crateras nas curvas sinuosas aumentam o perigo para o motorista. “Em caso de um acidente, nem a ambulância consegue trafegar com rapidez para salvar o acidentado”, comentou Vianei.

Ivonete Weber, moradora do bairro Santa Catarina
Ivonete Weber, moradora do bairro Santa Catarina

Quem também compactua com essa ideia de fechar a rodovia estadual se persistir a inércia do governo é Ivone Weber, de 34 anos, moradora do bairro Santa Catarina.

Ela é natural daquela comunidade e viu, durante a sua vida, várias etapas da história da rodovia. A biguaçuense afirma que nunca a SC-407 esteve em condições tão precárias quanto agora.

“Desde que a rodovia foi criada, em 1983, eu vi uma única vez essa estrada ser recapada, há cerca de dez anos. Então está na hora de alguém tomar uma atitude em relação a essa buraqueira que aí está, pois a SC oferta perigo diariamente, inclusive para as crianças que usam transporte escolar, pois os ônibus não têm nem lugar para embarque e desembarque dos alunos”, denunciou.

Weber espera que a promessa feita a ela pelo presidente do Departamento Estadual de Infraestrutura, Wanderley Agostini, de que lançará uma ‘operação tapa buracos’, seja realmente cumprida. Mas cobra também que o Governo do Estado faça a revitalização da pavimentação.

“O ideal é a recapagem completa do asfalto. Tapa buracos é um paliativo para dois ou três meses, no máximo. Mas caso isso não seja feito, nós estamos dispostos a fechar essa rodovia para evitar que aconteça uma tragédia com qualquer um dos usuários que passam por ali diariamente”, anunciou.

Outro ativista que corrobora com esse pensamento de bloqueio da SC-407 é Ivar Luiz dos Santos, ministro da eucaristia na igreja matriz de Biguaçu. Ele usou a palavra durante a audiência pública na Câmara e afirmou que a sociedade será mobilizada para cobrir melhorias na rodovia. “O fechamento da estrada não está descartado”.

Ivar Luiz dos Santos
Ivar Luiz dos Santos
Publicidade