Homem é condenado a 76 anos de prisão por estupro e incesto de duas filhas

Publicidade

A juíza Monike Silva Póvoas, da Comarca de Rio Negrinho, condenou um homem à pena de 76 anos e dois meses de prisão em regime fechado, pelo estupro de duas filhas, coação e ameaça a elas e à esposa durante a tramitação do processo.

O caso teve repercussão na mídia nacional pelo fato de as vítimas terem sofrido abusos por anos – cada uma delas teve três filhos com o réu. Eles moravam em localidade isolada e o fato foi descoberto no ano passado, após denúncia.

Continua após a publicidade

Antes disso, suspeita já havia sido levantada, mas um inquérito policial iniciado em 2008 e uma investigação de paternidade oficiosa em 2013 foram arquivados. Para que isso acontecesse, o réu ameaçou as vítimas e a esposa, com quem teve seis filhos, para alterarem seus depoimentos. Ele não poderá recorrer em liberdade da sentença, publicada na terça-feira, dia 4 de agosto.

Publicidade